Inicio Blog
Com o objetivo esclarecer as principais etapas da comprovação da descendência judaico-sefardita e como adquirir a nacionalidade portuguesa, a Martins Castro Consultoria Internacional promove o evento Nacionalidade Portuguesa: origem judaica das famílias do RN e CE. No roteiro estão as cidade de Natal (RN) e em Fortaleza (CE), nos dias 6 e 13 de junho respectivamente.
Brasileiros que sonham com o passaporte europeu começam a se preocupar com uma possível revogação da Lei que concede cidadania portuguesa a quem prova a descendência judaico-sefardita (Decreto-Lei 30-A/2015). O Portal Judeus Sefarditas conversou com o advogado Renato Martins, da Martins Castro Consultoria Internacional, escritório especializado no assunto, com sede na capital portuguesa.
O estado de Minas Gerais é mais uma região do Brasil que pode ser vista como berço dos descendentes sefarditas.
O direito à cidadania portuguesa dos Castelo Branco se dá através de Duarte Brandão.
São duas as possibilidades de ascendência sefardita da família de Paula Leite de Barros: António Bicudo e Pedro Vaz de Barros.
Quem são os judeus sefarditas e por que Portugal concede a nacionalidade portuguesa para os seus descendentes?
Durante muito tempo o vínculo sefardita de Luciano foi incerto. Entretanto, hoje sabe-se da sua ligação com o cristão-novo Dinis Bravo.
"Não se trata apenas de pôr as coisas no lugar certo, mas de pedir desculpa por uma profunda vergonha.”
Dentre as famílias em cuja origem encontramos raízes sefarditas, estão os Nogueira da Gama.
A data comemorativa visa celebrar a contribuição do povo judeu para a cultura brasileira.
A perseguição da Inquisição e do Estado Português levou um grande número de judeus sefarditas a deixarem Portugal, incluindo aqueles que já tinham sido vítimas da conversão forçada à religião católica.A diáspora, especialmente no final do século XV, espalhou os judeus sefarditas por vários países e continentes. Neste texto apresentamos cinco curiosidades sobre...
Além de fazendeira e mulher de negócios, Dona Joaquina de Pompéu é a matriarca de milhares de descendentes sefarditas que têm direito à cidadania portuguesa.