Saiba como começar a busca por antepassados sefarditas

0
340

Com a possibilidade de obter a cidadania portuguesa pela via sefardita, muitos brasileiros têm buscado descobrir suas origens. Cada vez mais pessoas têm recorrido à pesquisa genealógica para documentar os laços com antepassados judeus a fim de garantir a aprovação do processo. Mas por onde começar?

Embora seja possível buscar ajuda profissional em empresas especializadas, alguns documentos são fundamentais para iniciar as buscas pelo antepassado sefardita.

1. Os documentos mais fáceis

O passo inicial é o mais fácil. A primeira dica é você criar uma pasta física com os documentos que for juntando à sua busca. Além disso, como grande parte do processo ocorre via internet, é importante que você digitalize estes documentos, sempre nomeando cada um de acordo com o que representa, por exemplo, “1 – certidão de nascimento de Fulano de Tal”; “2 – Certidão de casamento dos pais de Fulano de Tal” etc.

Como você pode perceber, os primeiros documentos são aqueles aos quais normalmente temos mais facilidade de acesso, nossa certidão de nascimento e a certidão de casamento de nossos pais. Nestas certidões é possível localizar os nomes dos seus avós, informação fundamental para dar o próximo passo na pesquisa. No caso da certidão de casamento de seus pais, pode ou não trazer os nomes dos seus bisavós, o que agilizaria bastante o processo, caso contrário, as certidões de nascimento deles normalmente trazem esta informação.

VOCÊ PODE COMEÇAR A SUA ÁRVORE GENEALÓGICA.

2. Os avós & as chaves

Caso seus avós estejam vivos e você tenha contato com eles, maravilha! Basta pegar a certidão de casamento ou os registros de nascimento de ambos onde constem os nomes de seus bisavós e trisavós.

Contudo, caso seus avós já tenham falecido e você não disponha mais dos originais de seus documentos, ou caso não seja possível contato com eles, então deverá começar o verdadeiro trabalho de pesquisa.

A busca pelas datas de nascimento e óbito de seus avós é uma boa pista. Caso saiba onde foram sepultados, você pode conseguir estas informações junto ao cemitério e solicitar a segunda via da certidão de óbito no cartório de registros civis da cidade onde faleceram, no qual deve constar o local de nascimento, informação que tornará possível localizar os registros de nascimento, que por sua vez devem trazer os nomes dos pais e avós de seus avós.

3. A partir deste ponto…

Com as informações anteriores, você pode seguir dois caminhos: o primeiro caminho, o mais difícil, consta em você fazer a procura das informações por conta própria até um antepassado sefardita, que em muitos casos pode chegar até a 18ª geração, ou seja, pelo menos 15 gerações anteriores aos seus avós.

Para essa pesquisa por conta própria, você terá de recorrer a sites com registros genealógicos, como o Family Search, onde você poderá começar a fazer sua árvore genealógica e, caso haja vínculos com outros ramos de sua família cujas árvores já estejam completas, agilizar bastante suas buscas.

Além disso, outra boa pedida é consultar acervos bibliográficos onde constem estudos genealógicos sobre os diversos ramos de sua família, o que pode facilitar bastante, caso a genealogia de sua família tenha sido estudada anteriormente.

VOCÊ PODE COMEÇAR A SUA ÁRVORE GENEALÓGICA.

Já o segundo caminho, o mais simples, consta em procurar ajuda de profissionais que façam a pesquisa genealógica a partir de, pelo menos, seus avós ou bisavós e, depois, deem sequência ao processo de naturalização. Assim, você ganhará tempo e poderá realizar o sonho de obter a cidadania portuguesa mais rapidamente. Os profissionais que atuam neste segmento dispõem de farta documentação e bibliografia, além de ser provável que já tenham feito estudos de ramos de sua família com as quais você não tem contato, ou seja, bastando ligar você a um ramo da família já comprovadamente descendente de um judeu sefardita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here